Cobrança amigável: aprenda a fazê-la corretamente!

Cobrança amigável: aprenda a fazê-la corretamente!

Fazer uma cobrança amigável pode ajudá-lo a recuperar a dívida e o cliente, basta saber a maneira certa de fazer!

A inadimplência é um problema, mas não precisa marcar o fim do relacionamento com o cliente. Por meio de uma cobrança amigável, é possível recuperar a dívida e ainda manter a sua fidelidade e respeito.

A premissa é bem simples, mas muitos negócios não sabem como lidar com essa situação. Entrar em contato com o devedor, apresentar uma proposta e fechar uma negociação não é fácil e pode gerar muito atrito e constrangimento.

Para te ajudar nesse processo, este artigo reúne o que você precisa para encarar esse desafio e garantir bons resultados. Acompanhe!

Como funciona a cobrança amigável?

Cobrança amigável é a negociação de dívidas que se baseia na empatia, comunicação e respeito ao Direito do Consumidor para recuperar o crédito sem destruir o relacionamento.

Esse método é extrajudicial e tem como principal objetivo regularizar a situação do cliente e reequilibrar o fluxo de caixa do negócio. Por isso, precisa trazer benefícios para as duas partes envolvidas.

Em resumo, após o processo de negociação, a pendência financeira costuma ser quitada com descontos para pagamento à vista, ou por meio de um parcelamento que seja interessante para o credor e o devedor.

A cobrança amigável reduz a inadimplência?

Adotar métodos amigáveis de negociação é, sem dúvidas, a melhor escolha do gestor financeiro. Além de ser mais rápida, essa prática pode reativar o relacionamento e demonstrar que o negócio também tem o interesse de ajudar seu cliente.

Sendo assim, com métodos eficazes de monitoramento e cobrança, é possível reduzir o índice de inadimplência dentro da empresa e garantir um fluxo de caixa mais saudável e estável — o que é fundamental para sua sobrevivência e crescimento.

Como fazer uma cobrança amigável de sucesso?

Não importa o segmento em que você atua, é muito provável que tenha clientes com dívidas em aberto. Quando isso acontece, é preciso ter calma e agir de maneira estratégica.

A cobrança amigável é fundamental para a superação do problema e, ao contrário do que pode parecer, se inicia antes mesmo do contato com o devedor. Para ajudá-lo com essa missão, selecionamos algumas dicas importantes:

Conheça o Código de Defesa do Consumidor (CDC)

Para garantir o sucesso de sua cobrança, é imprescindível conhecer muito bem o Código de Defesa do Consumidor (CDC). Toda a equipe responsável pela tarefa deve dominar o assunto e entender o que pode e o que não pode ser feito durante o processo.

Nesse caso, uma das orientações mais relevantes é a de que o consumidor não deve ser exposto ao ridículo ou ser submetido à constrangimento ou ameaça. Ou seja, na hora de recuperar uma dívida, o bom senso e educação devem prevalecer.

Além disso, vale destacar que a cobrança não pode afetar o trabalho, o lazer e o descanso do devedor. Ligar para o local de trabalho sem a sua autorização ou fazer várias ligações aos domingos e feriados pode gerar sanções e multas para a empresa e até mesmo uma pena de detenção.

Escolha os profissionais certos para a tarefa

Ao planejar sua abordagem, é importante que você escolha profissionais ou empresas de cobrança que tenham capacidade de comunicação e negociação.

Pessoas com pouco controle emocional ou com dificuldades para trabalhar sobre pressão não conseguem conduzir um bom diálogo e cometem erros fatais durante a cobrança de uma dívida.

Saiba tudo sobre a dívida!

Antes de ligar ou mandar uma carta de cobrança, é essencial conhecer a dívida. Ou seja, o profissional deve saber o valor original do débito, os juros aplicados, o tempo de atraso e as tentativas anteriores de negociação.

Essas informações podem ajudá-lo a entender a situação, escolher uma boa proposta de parcelamento e, também, a se preparar para uma possível objeção.

Pratique o respeito e a empatia

É sempre bom lembrar que, em geral, ninguém gosta de ficar devendo. Os outros empresários também têm motivos para não honrar com seus compromissos e você precisa estar aberto para buscar uma solução que atenda aos dois lados da moeda.

Seja claro e objetivo

Sempre que iniciar um processo de cobrança, procure ser claro, objetivo e ter o controle da conversa. Por isso, apresente-se com cordialidade e informe o objetivo da ligação ou do contato, seja por e-mail ou carta.

A ideia é conduzir o diálogo de uma maneira positiva e tranquila, demonstrando ao devedor que a empresa está disposta a ajudá-lo a enfrentar o problema e recuperar seu poder de compra.

Tenha boas opções de negociação em mãos

Não é raro encontrarmos negociações de dívidas que fracassam devido à falta de boas opções de parcelamento. Ou seja, o problema é a falta de opções viáveis e não a falta de vontade do devedor.

Sendo assim, a dica é estudar a situação e ter um leque de opções disponíveis. Comece pela mais interessante e rápida para a empresa, mas ao perceber a intenção de negociação do inadimplente, apresente outras propostas.

Jamais perca o controle emocional

Mesmo aplicando todas as boas práticas para uma cobrança amigável, é impossível prever a reação do devedor. Em algumas situações, ele pode se exaltar e levar a conversa para um nível insustentável.

Se isso acontecer, é fundamental manter a calma. O negociador jamais deve alterar o tom de voz ou demonstrar nervosismo. É preciso ser empático e buscar as melhores soluções para resolver a situação.

Com as dicas e informações deste artigo, você pode desenvolver uma cobrança amigável de sucesso. Isso representa não apenas a recuperação de dívidas, mas a manutenção de um bom relacionamento com seu público. Por isso, não perca mais tempo e coloque em prática o que aprendeu!

Quer receber mais conteúdos como esse e diminuir inadimplência em seu negócio? Assine a nossa newsletter!

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta