Ciclo de Conversão de Caixa: o que seu negócio precisa fazer para protegê-lo

Ciclo de Conversão de Caixa: o que seu negócio precisa fazer para protegê-lo

Controlar a parte financeira é um dos principais desafios de qualquer empresa. Afinal, se essa parte não vai bem, o negócio pode estar com os seus dias contados.

Uma das importantes estratégias de gestão financeira é acompanhar o Ciclo de Conversão de Caixa, que basicamente mede o prazo de pagamento do fornecedor até o recebimento de venda do produto final.

Mas a sua empresa tem cuidado disso da maneira correta? É o que você vai descobrir neste conteúdo. Acompanhe!

Afinal, o que é Ciclo de Conversão de Caixa?

O Ciclo de Conversão de Caixa, ou Ciclo de Caixa, como também é chamado, é o tempo entre o pagamento dos fornecedores até o recebimento dos valores recebidos pela venda dos produtos (data de pagamento, não data de compra feita pelo cliente).

Esse cálculo é feito a partir do pagamento do material adquirido pelo fornecedor até a aquisição final. O Ciclo de Conversão de Caixa ideal é aquele com menor intervalo entre essa aquisição e a venda, assim a mercadoria não fica em estoque e proporciona um giro no caixa.

É o bom funcionamento desse ciclo que faz com que o empresário não precise mexer no capital de giro da empresa.

Entendendo melhor o Ciclo de Conversão de Caixa

Erick Oliveira, Business Development da Way Back já explicou aqui em nosso blog como funciona essa estratégia, vamos relembrar:

“Imagine que uma empresa mantenha um produto em estoque por um prazo médio de 25 dias e quando realiza a venda, ofereça a seu cliente um prazo médio de pagamento de 45 dias (Contas a Receber).

No outro lado do fluxo, a empresa tem que pagar seus fornecedores pelos insumos, e isso ocorre, por exemplo, com 30 dias de prazo médio.

Notem que neste caso, no fluxo de caixa, o dinheiro sairá com 30 dias, porém a entrada no caixa ocorrerá somente com 70 dias (Prazo de estoque + Contas a Receber). Ou seja, essa empresa está financiando toda a operação em 40 dias, o que poderá prejudicar muito seu crescimento financeiro.

Vale ainda ressaltar que quando ocorrem atrasos de pagamento (inadimplência), o ciclo é afetado ainda mais negativamente”.

Como calcular o Ciclo de Conversão de Caixa?

Para calcular o Ciclo de Conversão de Caixa, você precisará de alguns outros levantamentos, entre eles o cálculo de ciclo operacional. Mas a fórmula do cálculo é a seguinte:

  • Ciclo de caixa = Ciclo Operacional – Prazo Médio Pagamentos a Fornecedores (PMPF)

O Prazo Médio Pagamentos a Fornecedores é como o nome diz, o tempo que a empresa tem para pagar os fornecedores pela mercadoria recebida.

Exemplo:

Empresa do ramo alimentício

  • Prazo de recebimento: 40 dias
  • Prazo médio de estocagem: 50 dias
  • Ciclo operacional: 90 dias
  • Se o prazo médio de pagamento dos fornecedores for de 30 dias, o Ciclo de Conversão de Caixa então será de 60 dias.

Ainda tem dúvidas de como fazer esse cálculo? Entre em contato que a equipe da Way Back pode te ajudar!

Como proteger o Ciclo de Caixa?

Proteger o Ciclo de Caixa é pensar no crescimento e competitividade da sua empresa. Para isso, é necessário investir em um trabalho que reduza o tempo da mercadoria em estoque, reduza o tempo médio dos valores a receber e prolongue os vencimentos com os fornecedores.

Ao desempenhar esse trabalho para as empresas, a Way Back vai além e avalia, negocia e monitora prazos e contratos, além de aplicar estratégias para garantir o pagamento preventivo por parte do cliente. Dessa forma, é possível mitigar riscos e sair na frente com informações, dados e balanceamentos que ajudam no crescimento do negócio.

Quer saber mais sobre como proteger o Ciclo de Caixa do seu negócio e chegar mais longe? Fale com a equipe da Way Back e tenha uma avaliação personalizada!

Assista também ao webinar exibido no dia 15/07/2020 sobre o assunto:

Webinar Ciclo de Conversão de Caixa com o CEO Jefferson F. Viana e convidados

Deixe uma resposta